Empresas portuguesas têm mais vírus que média da UE

No DN:

Cerca de um quarto das empresas portuguesas queixam-se de terem sido afectadas no último ano por problemas informáticos, o valor mais elevado da União Europeia, a par de Chipre e Finlândia, revela um estudo do Eurostat hoje divulgado.

O inquérito do gabinete oficial de estatísticas da UE sobre problemas de segurança relacionados com as tecnologias de informação e comunicação revela ainda que, além de 26% das empresas portuguesas terem registado indisponibilidade dos serviços informáticos ou destruição ou alterações de dados devido a avarias, durante o ano de 2009, também um número significativo apontou interferências exteriores.

Segundo o estudo, 14% das empresas viram-se confrontadas com destruição ou alteração de dados devido a infecções por vírus informáticos ou acesso não autorizado, neste caso o segundo valor mais elevado na UE, apenas superado na Eslováquia (16%).

Em qualquer dos casos, os valores registados em Portugal ficam muito acima da média comunitária, já que no cômputo geral apenas 12% das empresas se queixaram de indisponibilidade dos serviços informáticos e somente 5 por cento acusaram vírus ou acessos não autorizados com repercussões.

É urgente consciencializar e formar as empresas que a segurança é uma prioridade.

Achaste interessante? Partilha!
    Analista de segurança web com vários anos de experiência. Fundador do projeto WebSegura.net. Reconhecido publicamente, por divulgação de vulnerabilidades, por empresas como a Google, Adobe, eBay, Microsoft, Yahoo, Panda Security, AVG, Kaspersky, McAfee, Hootsuite e outros. Colabora regularmente com a comunicação social em temas relacionados com a segurança de informação.

    Que tal participar com o seu comentário?