Segurança da informação ainda é descurada

No JN:

Pessoas expõem-se demasiado na Internet, usam palavras-chave óbvias e deitam fora o que não devem.

Falta sensibilizar as pessoas para a importância de protegerem a informação. Expõem-se de mais nas redes sociais, escolhem palavras-passe previsíveis, deixam telemóveis e computadores ao alcance de qualquer um… O alerta é de Paulo Faroleiro, da empresa Novabase.

O responsável pela unidade de Risco e Segurança da Informação da empresa de tecnologias de informação esteve no Pólo II da Universidade de Coimbra para falar sobre “Segurança e Privacidade”, no âmbito do Encontro Nacional de Estudantes de Informática. E deixou dicas a aplicar, não só no contexto laboral, mas também no dia-a-dia. Algo que, a seu ver, já devia ser ensinado nos bancos da escola, dada a sua importância e a falta de sensibilização existente.

(…)

Neste mesmo artigo temos referência a uma técnica bastante old-school, mais concretamente o trashing.
Leiam porque vale a pena.

Achaste interessante? Partilha!
    Analista de segurança web com vários anos de experiência. Fundador do projeto WebSegura.net. Reconhecido publicamente, por divulgação de vulnerabilidades, por empresas como a Google, Adobe, eBay, Microsoft, Yahoo, Panda Security, AVG, Kaspersky, McAfee, Hootsuite e outros. Colabora regularmente com a comunicação social em temas relacionados com a segurança de informação.

    Que tal participar com o seu comentário?