Todos os posts tagados google insights

Vídeo íntimo da Denise Rocha leva a malware

Vídeo íntimo da Denise Rocha leva a malware

Denise Rocha é uma advogada com 29 anos e é também assessora do senador brasileiro Ciro Nogueira, do Partido Popular no Brasil.

Um vídeo pessoal gravado em 2006 pelo ex-namorado, onde a advogada é vista de uma forma comprometedora, foi divulgado e espalhado rapidamente pela Internet. A notícia corre em todos os jornais brasileiros e também em Portugal.

O fato é que este tema também é, nos últimos 7 dias, o termo com o crescimento mais significativo em Portugal segundo o Google Insights.
Muitos utilizadores maliciosos tiram partido desta ferramenta do Google para criar páginas com malware usufruindo dos termos de pesquisa mais populares.
Spyware, adware, trojans, etc… tudo é encontrado em páginas falsas com supostos vídeos porno da Denise Rocha. Estas páginas conseguem, com técnicas de blackhat SEO, os primeiros resultados no Google, tentando alimentar a curiosidade dos utilizadores que pesquisam pela Denise Rocha.

Como em outro tipos de ataques do género, o utilizador deve ter sempre cuidado com os sites que visita. Observar sempre o conteúdo via snippet (resumo) ou preview do Google ou, para os mais experientes, utilizando ferramentas (ScanPW) para verificarem o código fonte antes de executá-lo.

Manter todo o software atualizado também é uma mais valia para uma navegação mais segura.

Morte de Kadafi vira malware na web

Como é comum nestes casos, os utilizadores maliciosos aproveitam sempre temas actuais para propagar malware, principalmente utilizando as práticas de SEOSearch Engine Optimization.
Neste caso o tema é a morte do antigo líder da Líbia – Kadafi.

Uma simples pesquisa no Google Insights, podem verificar no topo dos termos com tendência a aumentar, “kadafi”.


No entanto, até à data e segundo a Sophos, só é conhecido um ataque, propagado via email (SPAM).

Fica o alerta para não clicarem no ficheiro anexo (Bloody Photos_Gadhafi_Death.rar) dessa mensagem.

Portugal no topo das pesquisas relacionadas com o Antimalware Doctor

De acordo com o Google Insights, Portugal ocupa o 3º lugar de pesquisas de como remover o Antimalware Doctor, o que por sua vez pode significar inúmeras infecções com este malware.

Mas o que é o Antimalware Doctor?
É um programa que se auto-intitula de anti-spyware mas que na realidade é um malware.
Quando instalado, o Antimalware Doctor vai ser configurado para correr quando a vítima efectua o login no Windows. De seguida, vai pesquisar o disco rigido e detectar inúmeras infecções alertando à vitima que, apenas as remove, quando o utilizador comprar a versão completa do programa.
De referir que todas as infecções detectadas são totalmente falsas.
A infecção propriamente dita é realizada pelo próprio Antimalware Doctor.

Este tipo de software malicioso utiliza técnicas de ransomware para convencer a vítima a adquirir e a processar pagamentos para remoção das infecções. Algo que tem sido muito lucrativo para outras campanhas de falsos antivírus.

Como a maioria dos antivírus existentes, pelo menos nas versões gratuitas, não conseguem remover estes softwares maliciosos sem o uso de live CDs, aconselho a instalação da versão gratuita do MalwareBytes.
Também encontrei um guia bastante útil para quem está com dificuldades em remover o Antimalware Doctor.

Dado que o WebSegura está no topo das pesquisas em questões relacionadas com antivírus, fica aqui o alerta e a esperança de ter contribuído com a solução para muitos dos que estão de volta deste problema.

Um agradecimento especial ao @wooshiiricardo pelo link do Google Insights.