Todos os posts tagados sismo

Atenção aos falsos esquemas on-line relacionados com o sismo no Japão

Fica o alerta da ESET:

Enquanto ainda se faz um balanço do número total de desaparecidos num dos maiores terramotos na história do Japão e o mundo aguarda por notícias minuto a minuto, existem utilizadores mal intencionados, que à semelhança do que sucedeu com outras catástrofes, se tentam aproveitar do mal alheio para proveito próprio.

Em simultâneo com todos os desastres naturais de grandes proporções que ocorreram no passado, seja tsunamis do Oceano Índico, o furacão Katrina, ou o terramoto no Haiti, surgem várias fraudes online.

As formas mais comuns e que já começaram a surgir são:

1. Spam com vídeos que prometem ser chocantes.

São enviados por correio electrónico ou através de links em redes sociais como o Facebook ou o Twitter e normalmente prometem  revelar algumas cenas específicas ou mais novidades sobre o desastre. Se o utilizador se sentir tentado e dar um clique na hiperligação apresentada está exposto a diversas consequências, sendo uma das mais comuns a infecção por malware.

2. Propagação por Search Engine Optimization.

Uma vez que os cibercriminosos sabem que as pessoas vão usar os motores de busca para procurar notícias sobre a catástrofe, os cibercriminosos criam diversas páginas falsas e utilizam expressões na descrição como “terramoto”, “terramoto no Japão”, “Mortes no Japão” para atraírem os visitantes e figurarem em locais de destaque nos motores de busca. Os cibernautas ao visitarem essas páginas ficam infectados por malware.

3. Esquemas de fraude com contribuições

Em altura de catástrofes apela-se para a caridade. Os cibercriminosos estão atentos a este facto e como tal criam e-mails com falsas indicações, onde informam os utilizadores como podem contribuir para ajudar as vitimas do terramoto.

Apesar de todos estes esquemas on-line existem formas muito simples para os utilizadores estarem protegidos:

Não cliquem em ligações que surjam por e-mail ou sejam colocadas nas redes sociais, alertando para um vídeo chocante que mostra aspectos até agora inéditos e alusivos à catástrofe no Japão.

Confie nos sites de informação que lhe são familiares para se manter informado acerca das notícias.

Não envie contribuições para solicitações que chegam por e-mail. Informa-se sobre as associações e iniciativas válidas antes de contribuir.