Altos responsáveis chineses envolvidos em ciber-ataques contra o Google

Na TSF:

Diplomatas norte-americanos colocados em Pequim envolveram altos responsáveis chineses em ciber-ataques contra o motor de busca na Internet Google, segundo documentos divulgados pelo Wikileaks e publicados pelo jornal New York Times.

«Um contacto bem colocado afirma que o Governo chinês coordenou as recentes intrusões nos sistemas do Google», indica um dos telegramas diplomáticos norte-americanos divulgados pelo Wikileaks, segundo o qual as operações foram dirigidas a partir do gabinete político do Partido Comunista chinês.

Na quinta-feira, a China classificou de «absurdo» o conteúdo do Wikileaks, que divulgou cerca de 250 mil documentos diplomáticos norte-americanos, alguns envolvendo Pequim.

O referido telegrama designa Li Changchun, membro do gabinete político encarregado da propaganda, como chefe dos ciber-ataques contra o norte-americano Google.

De acordo com os documentos citados pelo “site” do jornal New York Times, os ataques foram coordenados por Li Changchun e Zhu Yongkang, o mais alto responsável pela segurança do país.

O contacto da embaixada norte-americana desconheceria, no entanto, se o presidente Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao estavam ao corrente do ataque ao Google.

Em Março, o Google anunciou que deixava de obedecer à ordem do Governo chinês de censurar o motor de busca, explicando ter sido vítima de ataques informáticos coordenados.

As contas de correio electrónico Gmail de dissidentes chineses tinham sido violadas nos ataques, revelou o Google.

Os Estados Unidos já se referiram em algumas ocasiões a ofensivas de piratas informáticos chineses, mas abstiveram-se sempre de denunciar publicamente o regime de Pequim.

Achaste interessante? Partilha!
    Analista de segurança web com vários anos de experiência. Fundador do projeto WebSegura.net. Reconhecido publicamente, por divulgação de vulnerabilidades, por empresas como a Google, Adobe, eBay, Microsoft, Yahoo, Panda Security, AVG, Kaspersky, McAfee, Hootsuite e outros. Colabora regularmente com a comunicação social em temas relacionados com a segurança de informação.

    Que tal participar com o seu comentário?